O problema do entulho na construção

Alguns conceitos relacionados a resíduos na Construção civil costumam ter muitas dúvidas como, por exemplo, a caliça, também conhecido como metralha ou entulho. No Brasil, em média 50% de todo o material desperdiçado, o que representa por volta de 850 mil toneladas de entulho por mês, é depositado sem critério em lixões ou aterros sanitários.

Perguntamos ao engenheiro qual é a principal problemática por trás deste conceito aqui no País. Segundo o autor do recente livro Gerenciamento de Resíduos Sólidos na Construção Civil, os construtores brasileiros sempre estiveram habituados a se desfazer de seus resíduos. Igualzinho ao lixo doméstico. Você sempre colocou o saco de lixo na porta de casa e, como por mágica, no dia seguinte ele não está lá. Você coloca mais lixo e no dia seguinte ele desaparece.

Na construção civil, também era assim. Só que em maior escala e com caçambas estacionárias. Não havia a preocupação com a segregação dos resíduos considerando seu potencial de reaproveitamento e impactos ambientais associados.

Mas a legislação brasileira não mais permite que isto seja assim. Se antes nos reportávamos àquela montanha de resíduos como “caliça, metralha ou entulho”, hoje somos obrigados a classificá-los segundo o destino que receberão. É como se cada tipo de resíduo tivesse adquirido personalidade e precisasse ser chamado por seu próprio nome. Os sistemas de gerenciamento de resíduos demandam tal refinamento.

Gerenciamento de resíduos na Construção Civil finalmente em livro

Dado a importância do tema no contexto atual, a Editora Oficina de Textos lançou este semestre o livro Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil escrito pelo engenheiro André Nagalli. A obra concentra-se nos seguintes pontos:

– Legislação

– Classificação e controle de resíduos, coleta, transporte e destinação.

– Preparação e organização do canteiro de obras

Diferentemente de um livro sobre gestão, o autor foca no gerenciamento dos RCC na prática, se fundamentando essencialmente nas estratégias de não geração, minimização, reutilização, reciclagem e descarte adequado dos resíduos sólidos e primando pelas estratégias de redução da geração de resíduos na fonte.

Este importante livro apresenta uma abordagem prática e exercícios ao longo dos capítulos que facilitam a compreensão e estudo do conteúdo. O grande diferencial desta publicação é o registro da experiência teórico-prática brasileira. Parte importante da bibliografia que o Brasil dispõe atualmente é importada ou traduzida de outras realidades/países, em outros contextos e processos construtivos. Outro referencial bastante utilizado atualmente são as cartilhas. E, em relação a estas, o livro Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil buscou aprofundar e ampliar essa importante discussão.

Para ser informado do lançamento acesse aqui e clique “avise-me quando disponível”. Aguardem na próxima ComuniTexto entrevista com o autor André Nagalli!

Sobre o autor: André Nagalli é Mestre em Engenharia de Recursos Hídricos e Ambiental e Doutor em Geologia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Leciona desde 2005 nos cursos de graduação e pós-graduação em Engenharia Civil pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Autor de diversos artigos científicos, desenvolve trabalhos de pesquisa na área de resíduos de construção e demolição junto ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil (PPGEC). É auditor ambiental líder cadastrado junto ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e, desde 1998, sócio-diretor da AAM – Ambiental & Mineral, empresa de consultoria nas áreas ambiental e geológica, onde atua como consultor.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *