A percepção do brasileiro sobre o saneamento básico

O Instituto Trata Brasil e o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) divulgaram uma pesquisa, no último dia 22, sobre a percepção da população brasileira em relação ao saneamento. O objetivo principal do estudo era saber o que o brasileiro pensa sobre o saneamento básico, os impactos da ausência dos serviços de água tratada, coleta e tratamento dos esgotos e a visão quanto à responsabilidade das autoridades.
De acordo com a pesquisa, 47% dos entrevistados afirmaram ter esgoto ou córrego a céu aberto em local próximo de onde moram, principalmente no Nordeste do país.
O presidente-executivo do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, diz que o tema vem ganhando espaço na sociedade e que os cidadãos estão assumindo uma postura mais crítica. “Fica claro que o cidadão está mais crítico à passividade do poder público. Ele reconhece na prefeitura a responsabilidade de resolver esses problemas e isso já é, por si, um fato muito positivo, ainda mais em um ano eleitoral”, avalia.
Porém, os entrevistados consideram o saneamento apenas o sexto no ranking dos maiores problemas a serem enfrentados pela sociedade – ficando atrás de saúde, segurança, drogas, educação e transporte.
O estudo revela ainda que o brasileiro não se mobiliza para cobrar providências, nem encontra informação ou campanhas de orientação sobre o tema, o que indica a falta de comunicação das administrações municipais e estaduais e das empresas de saneamento, que não informam o cidadão mesmo quando promovem obras para resolver os problemas ligados ao saneamento básico na cidade.
Dentre as consequências da falta de saneamento, 70% das respostas relatam doenças (em especial a dengue); 44%, cheiro ruim; 41%, presença de ratos; e 20%, contaminação do solo.
Foram 1.008 entrevistas realizadas em 26 grandes cidades do País, com população acima de 300 mil habitantes, e em todas as regiões. Na amostra prevaleceram as entrevistas com mulheres (55%), da classe C (54%), com idades acima dos 30 anos e com grau de instrução do ensino fundamental.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *