Arte nanotecnológica

O primeiro uso e registro histórico de nanotecnologia foram feitos, simultaneamente, por Richard Feynman em uma placa de ouro com a técnica de nanolitografia, na qual é utilizada uma caneta microscópica cuja tinta é composta de moléculas de organotiói, conforme descrito no livro O mundo nanométrico: a dimensão do novo século, de Henrique E. Toma, professor titular do Instituto de Química da USP e coordenador do Laboratório de Química Supramolecular e Nanotecnologia.

Nos dias atuais, a nanotecnologia tem sido utilizada para fins medicinais, biológicos e tecnológicos, trazendo inúmeros avanços para esses campos da ciência. Alguns pesquisadores brasileiros, porém, utilizaram a nanotecnologia para um fim diferente: criar arte.

As fotos das nanopartículas são feitas por microscópios eletrônicos de altíssima resolução e posteriormente coloridas por pesquisadores ou técnicos, conforme contou Elson Longo, coordenador do Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica da UNESP de Araraquara, para a Revista FAPESP.

Os resultados mais bonitos são destinados à Mostra Internacional de Nanoarte, que acontece todos os anos em diferentes países e já passou por Nova Iorque e Israel. Confira algumas das obras:

Coral marinho, por Rorivaldo Camargo – Material: molibdato de estrôncio – SrMoO4

Lar das abelhas, por Daniela Caceta – Material: zirconato titanato de cálcio e estrôncio ao redor de um cubo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nanoflowers, por Ricardo Tranquilin – Material: óxido de zinco

Lago de esmeraldas, por Daniela Caceta – Material: mesocristais cúbicos de óxido de ítrio-bário-cobre

Doces da vovó, por Daniela Caceta – Material: mesocristais de óxido de ferro-estanho

Fonte: Revista Galileu


Qual o tamanho das partículas nanométricas?

A nanoarte trabalha com partículas representadas por uma unidade equivalente a um bilionésimo de metro. Segundo o livro O mundo nanométrico: a dimensão do novo século, escrito por Henrique E. Toma, essa dimensão é expressa pelo prefixo nano, do grego “anão”, de onde também vem a palavra “nanico”. Sua notação é nm ou 10-9 m. Ainda de acordo com a obra, 1 nm (nanômetro) equivale aproximadamente ao comprimento de dez átomos enfileirados. Veja um gráfico retirado do livro com as escalas de tamanho:

Tudo a ver:

Quer ler mais sobre as aplicações da nanotecnologia, que vão desde melhorias em aparelhos eletrônicos até o tratamento de doenças?
O mundo nanométrico: a dimensão do novo século aborda a história da nanometria, os usos biológicos dessas partículas e os desafios da área. A leitura é indicada para o público geral e visa divulgar os caminhos da ciência para todos que se interessam pelo assunto.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *