Chevron é multada por negligência

O Ministério Público Federal propôs multa de R$ 20 bilhões à Chevron e também à contratada Transocean por danos ambientais e sociais causados pelo vazamento de petróleo em novembro, na Bacia de Campos (RJ).

O Ministério Público quer também que a Justiça Federal conceda uma liminar que suspenda as atividades das duas empresas no país, sob pena de multa diária de R$ 500 milhões.

O procurador da República Eduardo Santos de Oliveira argumenta que a Chevron omitiu informações a ANP (Agência Nacional de Petróleo) e cometeu falhas no plano de contingência.

A Chevron calcula que o vazamento foi de cerca de 2,5 mil barris de petróleo para o mar, mas a Secretaria de Meio Ambiente do Rio de Janeiro estima que o vazamento foi de aproximadamente 15 mil barris.

Nesta semana, durante uma audiência pública na Câmara Municipal de Macaé (RJ) a empresa petrolífera admitiu que ainda há óleo vazando. De acordo com o representante da Chevron, não há previsão para controlá-lo e ainda existe a possibilidade do óleo chegar às praias.

A Polícia Federal investiga ainda se houve a tentativa de atingir o pré-sal – razão pela qual a perfuração teria ido além do limite.

O Ibama declarou que os acidentes em plataformas de petróleo no Brasil triplicaram entre 2008 e 2010. Especialistas acreditam que para melhoria dos serviços prestados o governo precisa, além de investir em tecnologia, fiscalizar e garantir a segurança nas plataformas petrolíferas.

Leia mais: http://www.comunitexto.com.br/2011/12/vazamento-de-oleo-e-o-dano-ecologico/

Imagem: Revista IstoÉ

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *