As cidades líderes em sustentabilidade

No final de 2013 o C40, um grupo de megacidades do mundo comprometidas a abordar a mudança climática incluindo as três cidades brasileiras Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, anunciou os 10 vencedores do primeiro City Climate Leadership Awards. Uma premiação que lista as 10 cidades em todo mundo que têm demonstrado liderança na batalha contra a mudança climática e excelência em sustentabilidade urbana.

Os projetos considerados foram escolhidos tanto entre os membros do C40, como entre as 120 cidades incluídas em seu Índice de Cidades Verdes. Um júri de 7 membros independentes, formado por prefeitos, arquitetos e representantes do Banco Mundial, da Siemens e da C40, elegeu os projetos das cidades ganhadoras nestas 10 categorias:

Confira agora a lista de premiados dos dez municípios de todo o planeta seguido de sua categoria:

Rio de Janeiro: Comunidades Sustentáveis

Isso mesmo! Vamos começar tendo o prazer de anunciar o Rio de Janeiro como uma das 10 cidades com um plano de revitalização urbana e comunidades sustentáveis. Com o programa Morar Carioca o Rio levou o prêmio na categoria de Comunidades Sustentáveis. Basicamente o projeto, criado em 2010, tem a missão de reurbanizar e integrar socialmente todas as comunidades (favelas) da cidade até o ano de 2020. Os investimentos do projeto estão na melhoria da infraestrutura, paisagismo, lazer e moradia da população que vive nessas regiões.

Bogotá: Transporte Urbano

A capital da Colômbia, Bogotá, foi premiada na categoria Transporte Urbano com sua  ultraeficiente frota de ônibus e taxis. Com o TransMilenio e E-Taxis, criado em 2000, a capital colombiana tem mais de 70% da sua população (7,1 milhões) coberta por um perfeito sistema de transporte. A capital projeta para o futuro próximo a substituição de toda a frota de ônibus a diesel por ônibus híbridos e toda a frota de taxi comum por elétricos. No projeto de melhorias da sustentabilidade urbana da cidade ainda existe uma nova linha de metrô.

 Melbourne: Energia Eficiente em Ambientes Construídos

Com o programa Melbourne: Sustainable Buildings Program a cidade australiana garantiu o prêmio de Energia Eficiente em Ambientes Construídos. O programa consiste em incentivar a retromontagem de 1.200 edifícios comerciais, 70% de todos os edifícios comerciais da cidade, para que melhorem sua eficiência de energia em aproximadamente 38%. Essa melhora resultaria na eliminação de 383mil toneladas de CO² por ano.

Copenhague: Medição de Carbono & Planejamento

Para garantir o prêmio de Medição de Carbono & Planejamento a capital da Dinamarca ousou e lançou um plano climático que visa tornar a cidade completamente neutra nas emissões de carbono até 2025. Caso a cidade tenha sucesso na tentativa de reduzir as 400mil toneladas de CO² geradas será a primeira capital do mundo a ser neutra em Carbono.

Cidade do México: Qualidade do Ar

Sim, a Cidade do México, levou o prêmio de Qualidade do Ar. O que justificou essa premiação dentre tantas outras cidades que vem trabalhando nesse sentido foi o programa PorAire, voltado para redução de emissões de CO² e poluição do ar que está implantado a mais de 20 anos por lá e conseguiu reduzir drasticamente esses poluentes. O programa abrange desde redução nas emissões de veículos até a contenção da expansão urbana. Consolidando a atenção da Cidade do México com a qualidade do ar, recentemente foi apresentado uma construção que literamente “come poluição”. Ele utiliza uma telha especial que ajuda a neutralizar substâncias químicas que compõem a poluição.

Munique: Energia Verde

Munique, cidade alemã, capital de Baviera, recebeu o prêmio de Energia Verde pela iniciativa de garantir que até 2025 toda a energia da cidade utilizará fontes renováveis. Mas o prêmio não veio somente pela atitude, veio porque atualmente 37% da energia já vêm de fontes renováveis e em 2015 serão capazes de gerar energia através do vento que fará esse percentual subir até os 80% da energia total gerada na cidade.

Nova Iorque: Adaptação & Resiliência

Nova Iorque foi escolhida nesta categoria justo por causa de um pós-desastre. A escolha da cidade americana ocorreu por conta do seu plano de ação após a passagem do furacão Sandy. O programa atua no trabalho de outras 250 iniciativas para reconstruir as comunidades impactadas pela tempestade aumentando a resiliência da infraestrutura e edifícios de toda a cidade. Além disso o plano pós-tempestade abrange categorias como o transporte, telecomunicações, parques, segurança e outros.

 São Francisco: Gestão de Resíduos

Falando em gestão de resíduos São Francisco pode ser considerada uma cidade veterana e de sucesso. Seu programa de resíduos 11-year-old-zero garante atualmente que 80% de todo o lixo seja destinado aos locais corretos, no lugar de ir direto para aterros. A meta é que até 2020 100% do lixo de São Francisco tenha o destino correto. Isso fez com que levassem o prêmio de Gestão de Resíduos pra casa.

Singapura: Infraestrutura de Cidade Inteligente

Para o prêmio de Infraestrutura de Cidade Inteligente o destino foi Singapura. A cidade possui uma gama de iniciativas destinadas ao transporte inteligente, como os dados de tráfego em tempo real da frota de taxis equipados com GPS e do seu famoso sistema de coleta de pedágio eletrônico nas estradas. Isso garante que Singapura tenha taxas menores de congestionamento do que grande parte das cidades.

Tóquio: Finanças e Desenvolvimento Econômico

A considerada capital do Japão, Tóquio, leva o prêmio de Finanças e Desenvolvimento Econômico pelo lançamento do primeiro programa do mundo de Cap e Trade. Algo como unir o comércio com a sustentabilidade. Atualmente o programa integra mais de mil instalações que são obrigadas a reduzir as emissões em um total de 13% na cidade. Esse programa garantiu que mais de 7 milhões de toneladas de CO² fossem impedidas de serem liberadas desde 2010.

Fonte: retirado do site www.idtraduzidas.com, “As 10 Cidades que estão liderando o caminho para a Sustentabilidade Urbana” por SEKUMELLO