Comitê Brasileiro de Barragens promove simpósio em Porto Alegre

Para reativar o setor, o Comitê Brasileiro de Barragens – Núcleo Regional RS promove, de 1º a 4 de maio, a oitava edição do Simpósio sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas no Centro de Eventos do BarraShoppingSul, em Porto Alegre (RS). O encontro prevê debates sobre geração de energia elétrica limpa, tecnologias, relações com o meio ambiente, além de visitas técnicas. O simpósio é dirigido a empresas, entidades e profissionais ligados a estudos ambientais, planejamento, investimento, projeto, construção e operação de usinas, fabricantes e montadoras de equipamentos eletromecânicos.

Para inscrições e mais informações sobre o evento, clique aqui

Recursos hídricos mundiais

Os recursos hídricos renováveis do mundo são estimados em cerca de 40 mil km3 por ano, porém a irregularidade no tempo, na localização e a concentração geográficas dos recursos somam apenas 9 mil km3 por ano, ou seja, 22,5% dos recursos renováveis totais. Isso explica o porquê da necessidade de construção de mais de 50 mil grandes barragens ao longo dos últimos 5 mil anos para poder satisfazer a demanda por água, que é essencial para a vida e o desenvolvimento humano. As grandes barragens e reservatórios regulam aproximadamente 3.500 km3 por ano. Assim, os reservatórios contribuem para os recursos hídricos disponíveis no mundo, com cerca de 30% de participação. Dessa forma, as barragens têm servido para garantir suprimento adequado de água e outros benefícios para sustentar a população mundial. Elas se tornaram parte integral da infraestrutura da sociedade e exercem papel vital na manutenção e melhoria da qualidade de vida.

Papel das barragens e dos reservatórios

A água que é armazenada e regulada por barragens e reservatórios representa um insubstituível recurso hídrico e beneficia o fornecimento de água, a irrigação, a hidreletricidade, a diminuição de enchentes, a navegação fluvial, a recreação, o turismo, o meio ambiente entre outros. As áreas irrigadas, por exemplo, representam 17% da terra arável do mundo, mas produzem 40% de todas as colheitas mundiais. Os reservatórios também exercem papel significativo no controle de secas e enchentes, e um dos propósitos de 20% dos reservatórios do mundo é reduzir os principais impactos socioeconômicos das enchentes.

Além disso, a hidreletricidade, que é uma fonte de energia renovável limpa e ambientalmente correta, responde por 20% de toda a eletricidade gerada no mundo. A hidreletricidade é um dos principais objetivos das barragens, e há mais de 8.200 grandes barragens (cerca de 25% do número total de grandes barragens) nas quais a hidreletricidade é o único propósito ou um dos principais objetivos dos respectivos reservatórios. A Comissão Internacional de Grandes Barragens (CIGB) mantém um Registro Mundial de Barragens. Para uma barragem ser considerada grande e ser incluída no registro, ela deve ter altura de 15 metros ou 10 a 15 metros e armazenar mais de 3 milhões de metros cúbicos de água em seu reservatório. Conforme dados de 2003, há cerca de 50 mil grandes barragens em operação. Barragens de aterrosão o tipo predominante, seguidas por barragens de gravidade e barragens de enrocamento. Hoje, barragens de propósitos múltiplos estão sendo planejadas, construídas e operadas com equilíbrio entre os benefícios econômicos e ambientais, obedecendo aos critérios da Gestão Integrada de Recursos Hídricos.

Com informações de Renatha Morés – Conteúdo em comunicação

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *