Conheça todos os tipos de barragem

As barragens podem ter diversas finalidades, servindo para navegações, turismo, hidrelétricas, contenção de águas e controle de enchentes. Em  todos estes casos, as tecnologias e conhecimentos para construção de barragens evoluíram e deram origem a dois grupos distintos: barragens convencionais, que são mais utilizadas e cujo mecanismo é objeto de pesquisas, e  não convencionais, que inclui barragens que são pouco utilizadas.

Nesta matéria, desenvolvida com base na obra Geologia de Barragens, de Walter Duarte Costa, doutor em geotecnia pela USP, você irá conferir os tipos de barragens convencionais e não-convencionais.

Barragens convencionais

Barragem de terra

São aquelas em que a estrutura é fundamentalmente constituída por solo. Divide-se em dois tipos: homogênea, quando há predominância de um único material (embora possam ocorrer elementos como filtros, rip rap, etc.), e zonadas, nas quais são feitos zoneamentos de materiais terrosos em função das características de permeabilidade.

Barragem de Enrocamento

Consiste em um maciço formado por fragmentos de rocha compactados em camadas cujo peso e imbricação cria a estabilidade do corpo submetido ao impulso hidrostático. Podem ter o núcleo impermeável, feito com predominância de material rochoso e núcleo argiloso que veda a passagem de água, ou ter face impermeável, cuja vedação da água é garantida pela impermeabilização da face montante da barragem com uma camada de asfalto, chapa de aço ou outro material.

Barragem de Concreto

Construídas essencialmente com materiais granulares produzidos artificialmente aos quais se adicionam cimento e aditivos químicos, são divididas em cinco tipos diferentes:

– Gravidade: barragens maciças de concreto com pouca armação;

– Gravidade Aliviada: tem estrutura mais leve e é desenvolvida com o objetivo de imprimir menor pressão às fundações ou economizar concreto;

– Em contraforte: ainda mais leve que a barragem de Gravidade Aliviada, concentra em uma pequena área da fundação os esforços causados pela pressão hidrostática;

– De concreto rolado ou compactado: é uma barragem de gravidade em que o concreto é espalhado com trator de esteira e depois compactado;

– Abóbada: são aquelas cujas curvaturas ocorrem em duplo sentido, ou seja, na horizontal e na vertical. Parte das pressões hidráulicas  é transmitida às ombreiras por estes arcos.

Barragem Mista

Constituída por diferentes materiais ao longo de uma seção transversal, normalmente com três tipos mais conhecidos: terra/enrocamento, enrocamento/concreto e terra/concreto.

Barragens não convencionais

Barragem de Gabião

É uma obra de pequeno porte, normalmente inferior a 10m de altura, projetada para ser parcial ou totalmente vertedoura.

Barragem de Madeira

Exige madeira de boa qualidade e deve ser revestida com uma chapa de aço para garantir a vedação.

Barragem de alvenaria de pedra

É uma variação da barragem de gravidade, na qual o concreto é substituído pela alvenaria de pedra rejuntada manualmente com cimento.

Tudo a ver

Se você gostou desta matéria, vai adorar o livro Geologia de Barragens, de Walter Duarte Costa. O livro apresenta de forma didática os principais conhecimentos da área relacionados a essas obras em suas fases: viabilidade, projeto básico e executivo. Inclui investigações de campo e laboratório; estudos da bacia hidrográfica e seções hidráulicas; eixos do barramento e obras complementares; e critérios para a escolha do tipo de barragem. Mostra a importância e os tipos de tratamento das fundações; materiais naturais de construção; monitoramento; relatórios técnicos; e subsidia os estudos de meio ambiente.

O livro também aborda outras questões relacionadas ao uso da Geologia na otimização de um projeto de barragem, mostrando que esse conhecimento pode garantir uma obra segura, econômica e com inserção ambiental de menor impacto.

A obra é ideal para alunos graduados de Geologia e de Engenharia e como orientação para os profissionais dessas.

Sobre o autor

Walter Duarte Costa é doutor em Geotecnia pela USP e lecionou a disciplina de Geologia aplicada à Engenharia na UFPE, PUC-Rio, UFF e UFMG até 2006. Nas empresas em que trabalhou (Sondotécnia e Enerconsult) e em suas próprias empresas (Geotecnia e Ecogeo), teve oportunidade de participar em projetos ou como consultor na construção de 171 barragens em todo o Brasil.

Comentários

  1. Muito bom o artigo, simples e abrangente de conhecimento!

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *