Divisão do Estado do Pará é Rejeitada

Foi realizado ontem, 11/12/11, o plebiscito que questionava a população paraense sobre a divisão do Estado.  Durante a votação os eleitores opinaram em relação à criação de cada Estado, em separado.

Após a contagem dos votos na madrugada desta segunda-feira, a população não aprovou a divisão do Estado para a formação de Carajás e Tapajós.

A criação de Carajás foi rejeitada por  66,6 % dos eleitores, enquanto 33,4 % votaram a favor. Com relação a Tapajós, a rejeição foi de 66,08 % e 33,92% a favor. Cerca de dois terços do eleitorado do Pará está em Belém e cidades vizinhas.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), defendeu que o Brasil precisa discutir melhor novas propostas de divisão territorial. No congresso, existem aproximadamente 20 projetos de divisão territorial em andamento.

Ainda no assunto “divisão territorial”, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgou recentemente a publicação Evolução da Divisão Territorial do Brasil 1872-2010, que traz mapas políticos desse período e apresenta textos contextualizando o processo histórico brasileiro, entre outras coisas. Acesse clicando aqui.

Livro Novos Estados e a Divisão Territorial do BrasilO assunto te interessa? Que tal se aprofundar mais? O livro Novos Estados e a Divisão Territorial do Brasil: uma visão geográfica, do geógrafo José Donizete Cazzolato, traz critérios para se dividir um Estado com os menores danos possíveis, traz sugestões de outras divisões e aborda ainda o caso do Pará. Clique na imagem para conhecer o livro.

Leia mais no blog: http://www.comunitexto.com.br/2011/12/o-estado-do-para-na-reta-final-para-o-plebiscito/

Comentários

  1. ate que enfim o povo acordou. não vê que essa divisão so interessa a politicos parasitas.
    com essa, chego a conclusão que todos os problemas do brasil, está na politica.
    li ontem uma materia na folha que compara o brasil com um obêso morbido. isso foi uma das coisas mais reais sobre esse pais varonil.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *