Entenda o cliclo das rochas

O ciclo das rochas representa as diversas possibilidades de transformação de um tipo de rocha em outro.Os continentes se originaram ao longo do tempo geológico pela transferência de materiais menos densos do manto para a superfície terrestre. Este processo ocorreu principalmente através de atividade magmática.

As rochas, uma vez expostas à atmosfera e à biosfera passam a sofrer a ação do intemperismo, através de reações de oxidação, hidratação, solubilização, ataques por substâncias orgânicas, variações diárias e sazonais de temperatura, entre outras. O intemperismo faz com que as rochas percam sua coesão, sendo erodidas, transportadas e depositadas em depressões onde, após a diagênese, passam a constituir as rochas sedimentares.

A cadeia de processos de formação de rochas sedimentares pode atuar sobre qualquer rocha (ígnea, metamórfica, sedimentar) exposta à superfície da Terra.

Tradução: Oficina de Textos

Devido à migração dos continentes durante o tempo geológico, as rochas podem ser levadas a ambientes muito diferentes daqueles onde elas se formaram. Qualquer tipo de rocha (ígnea, sedimentar, metamórfica) que sofra a ação de, por exemplo, altas pressões e temperaturas, sofre as transformações mineralógicas e texturais, tornando-se uma rocha metamórfica.

Se as condições de metamorfismo forem muito intensas, as rochas podem se fundir, gerando magmas que, ao se solidificar, darão origem a novas rochas ígneas.

O ciclo das rochas existe desde os primórdios da história geológica da Terra e, através dele, a crosta de nosso planeta está em constante transformação e evolução.

Texto retirado do Instituto de Geociências – USP em http://www.igc.usp.br/index.php?id=306

Tudo a ver

Destinado a estudantes de Geociências e aos interessados em aprender a identificar rochas, Rochas: manual fácil de estudo e classificação apresenta um roteiro para o estudo das rochas, enriquecido por ilustrações didáticas, e aborda, numa linguagem clara e acessível, os fundamentos básicos da Petrologia.

Sobre o autor:

Sebastião de Oliveira Menezes possui graduação e mestrado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Lecionou na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e na Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geologia, atuando principalmente em Mapeamento Geológico, Geologia de Pegmatitos, Mineralogia, Petrografia e Geomorfologia. Publicou pela Oficina de Textos o livro Minerais comuns e de importância econômica: um manual fácil.