Entrevista com Brian Richter, autor de “Em busca da água”

No livro Em busca da água, o líder global em ciência e conservação fluvial Brian Richter discute os desafios da

Brian Richter

gestão hídrica. Ele oferece informações e metodologias para que qualquer pessoa possa compreender as dinâmicas de abastecimento hídrico de sua região e contribuir para uma gestão sustentável deste recurso fundamental para a vida. Na entrevista de hoje, Richter fala um pouco mais sobre esta obra tão atual!

Comunitexto: Por que você decidiu escrever esse livro?

Brian Richter: Eu percebi duas coisas que motivaram esse livro. A primeira é que a escassez de água está se espalhando e intensificando rapidamente; nós ouvimos histórias sobre crises hídricas praticamente todos os dias. A segunda foi que – mesmo entre grupos voltados à questão da água – há uma falta de compreensão e muitos equívocos sobre o que causa a escassez, e o sobre o que precisamos fazer para preveni-la no futuro. Por um lado, a mídia sempre culpa as secas pela falta d’água, mas isso é apenas parte da história. Por outro lado, o que raramente é dito é que a crise é uma falha de governança hídrica. Se estivéssemos planejando o abastecimento de água de maneira sustentável e agindo de forma antecipada para preveni-las, nós poderíamos evitar essas crises.

CT: Este livro não é uma publicação técnica sobre a gestão hídrica, embora seja dedicada a esse assunto. Você também conta sua história nele. Ele tem um significado especial para você?

BR: Eu cresci em uma cidade que estava sempre em busca de água, tentando encontrar novas fontes para ficar um pouco à frente de uma crise hídrica. E nos meus mais de 25 anos de trabalho com questões ligadas à água, eu vi o impacto da falta d’água e de uma gestão hídrica mal feita. Eu sentia que precisava fazer alguma coisa, que eu precisava expressar meu ponto de vista e dividir o que eu aprendi. As respostas são bastante simples, mas frequentemente os profissionais ligados à gestão hídrica fazem com que elas pareçam complicadas e incertas. Não é tão difícil ficar fora de problemas com relação à água.

capa_em busca da aguaCT: E para quem você escreveu esse livro?

BR: Eu estava pensando primeiramente em dois públicos. Um é a comunidade universitária, os professores que ensinam em cursos ligados à água e estudantes que poderiam se beneficiar de uma explicação simples sobre a gestão hídrica. Outro público são os líderes comunitários, aqueles cidadãos que se preocupam com a questão hídrica e estão tentando promover transformações em suas comunidades locais. Em muitos casos eles não compreendem adequadamente o problema e suas soluções potenciais, então acho que meu livro pode informá-los e capacitá-los para levar adiante ideias coerentes, sustentáveis.

CT: Quais os diferenciais dessa obra? Como ela se distingue de outras publicações sobre a conservação da água?

BR: Eu tentei escrever o livro sobre gestão hídrica mais simples, mais curto e mais compreensível que eu fosse capaz. Não há equações matemáticas neste livro, mas há muitas ilustrações que contam a mesma história sobre a água. Eu também quis compartilhar histórias sobre lugares reais que estão enfrentando desafios hídricos, ou encontrando maneiras de se sobrepor a esses desafios. As histórias tristes ajudam as pessoas a entenderem que não estão sozinhas; as felizes eu espero que inspirem os outros a continuar trabalhando em busca de soluções.

Para saber mais sobre o livro, visite o site da Oficina de Textos.