Geografia Aplicada ao Turismo – Entrevista

A Editora Oficina de Textos em mais um passo inédito está lançando este mês um importante livro Geografia aplicada ao Turismo para profissionais do turismo. Organizado pelos geógrafos Raphael Aranha e Antonio Guerra, esta obra preenche uma importante lacuna, capacitando turismólogos demonstrando a aplicabilidade da climatologia, da geologia, da geomorfologia, da biogeografia, da cartografia, da geopolítica, da cultura, no turismo e a planejarem suas atividades turísticas, em escalas locais e regionais. O Portal Comunitexto convidou um dos organizadores, Raphael de Carvalho Aranha, para falar sobre o livro e a importância do tema para turismólogos.

ComuniTexto: Qual a importância do tema geografia aplicada ao turismo para os estudantes e profissionais da área?

Raphael de Carvalho Aranha: A Geografia é uma ciência que objetiva entender o mundo e para isso ela utiliza seus diversos ramos como a Biogeografia, a Climatologia, a Geomorfologia, etc., assim como outras áreas de suporte (Cartografia, Meteorologia, entre outros). Dessa forma, devido sua enorme abrangência, ela é capaz de ser algo aplicável no planejamento do turismo, na sua execução, nas pesquisas acadêmicas sobre o tema, entre outros. Podemos citar, por exemplo, a relação dos aspectos físicos (clima, vegetação, relevo) com a exploração do turismo ou como a cartografia pode auxiliar os turistas.

CT: Quando que este assunto passou a fazer parte do estudo do Turismo e por quê?

RCA: É interessante essa pergunta, pois no século XIX questionava-se a importância da Geografia, pelo fato desta nessa época ser muito descritiva aproximando-se dos Guias Turísticos. É importante diferenciar Geografia do Turismo da Geografia Aplicada ao Turismo: o primeiro procura entender as transformações causadas por essa atividade econômica no espaço.

A segunda, como o próprio título já diz, pretende demonstrar a aplicabilidade da Geografia e suas áreas de suporte (como a Geologia, Geomorfologia, Cartografia, etc.) diretamente no Turismo. Este é o grande diferencial da disciplina, pois capacita os turismólogos a utilizarem adequadamente seus conceitos e objetos de estudo em suas áreas de trabalho.

É de extrema importância para o profissional entender a aplicabilidade da climatologia, da geologia, da geomorfologia, da biogeografia, da cartografia, da geopolítica, da cultura, no turismo. Não podemos precisar exatamente quando o assunto passou a fazer parte do Turismo, pois na verdade, eles sempre tiveram juntos, porém não sistematizados.

CT: Atualmente o profissional do turismo com conhecimento mais técnico é cada vez mais requisitado no mercado de trabalho. Qual a importância de se adequar a estas novas exigências?

RCA: Devemos primeiramente diferenciar o conhecimento técnico do acadêmico/científico. Um profissional de turismo, pode ter feito um curso técnico para trabalhar em uma agência de viagens por exemplo. Mas, aquele que além do conhecimento técnico, associa o conhecimento científico na aplicabilidade da sua profissão (imagina um agente de viagens que entende a dinâmica do clima do destino de um passageiro) torna-se um profissional muito mais completo.

CT: O senhor está lançando em parceria com o renomado geógrafo Antônio Guerra o livro Geografia Aplicado ao Turismo. Quais são os maiores destaques da obra? Em seus objetivos?

RA: O maior destaque, sem dúvida, é o grupo de autores, especialistas em suas áreas, que realizaram um trabalho magnífico, resultando em um trabalho extremamente harmonioso.

CT: Quando e como nasceu a ideia de escrever este livro?

RCA: Desde que comecei a lecionar no curso de Turismo do Grupo Educacional Hotec, sempre busquei mostrar para meus alunos como a Geografia poderia ser aplicável ao Turismo. Ministrava em minhas aulas temas como a ação das massas de ar polares como dinamizadoras do turismo na Serra Gaúcha ou a importância do entendimento da escala cartográfica para um possível cálculo de distância no mapa para auxiliar os futuros guias de turismo em uma excursão. A ideia de juntar essas aulas em uma obra completa e integrada surgiu finalmente no início de 2013, dado o sucesso de 4 anos ministrando essas aulas.

CT: Geografia Aplicado ao Turismo é um dos poucos livros sobre o assunto, notório pela abordagem sistemática e completa dos principais questões e conceitos envolvendo a geografia e o turismo O livro contempla essa nova matriz de conhecimento do mercado de turismo?

RCA: O turismo envolve uma série de atividades relacionadas à: viagens; visitas a museus; compras; banho de mar, rio, lago e cachoeira; prática de esportes radicais, ou não; recreação; aprendizado; novas experiências; relaxamento, enfim, tudo que possa ser aproveitado pelos visitantes de uma nova realidade, geralmente diferente daquela em que o visitante vive no seu cotidiano.

Nesse livro, os autores procuraram abordar a aplicabilidade da Geografia na atividade turística, levando em conta a interdisciplinaridade que o turismo envolve, bem como o papel da Geografia e dos geógrafos em procurar melhor compreender a atividade econômica que mais cresce, nas últimas décadas e que mais tem absorvido mão de obra, em quase todos os países do mundo.

CT: Como a obra contribui para o aperfeiçoamento do conhecimento dos estudos do turismo?

RCA: O resultado desse livro, a nosso ver, reflete uma abordagem ampla e integradora das ciências sociais e ambientais, numa perspectiva interdisciplinar, como a natureza inerente da própria Geografia. Acreditamos que as contribuições aqui apresentadas caracterizam vários aspectos importantes do pensamento e das pesquisas sobre turismo, apesar de não ter sido nossa pretensão esgotar totalmente o tema, mas introduzi-lo sob uma perspectiva técnica e cientifica, ao mesmo tempo. Para tal, procuramos levar em conta uma bibliografia atual, onde o leitor possa verticalizar nessa temática e que aborde temas relacionados aos estudos sobre turismo e sobre a Geografia Aplicada ao Turismo, que são, ao mesmo tempo, um grande desafio, mas que servem como um estímulo para a continuidade por parte daqueles estudiosos sobre o turismo, do ponto de vista das pesquisas contemporâneas sobre o tema em questão.

CT: Os impactos do turismo sobre o meio ambiente são inevitáveis. Como este livro auxilia o profissional para o conhecimento e mitigação destes impactos?

RCA: Devemos pensar que os impactos podem ser positivos e negativos. Conhecendo bem a aplicabilidade da Geografia, podemos maximizar os impactos positivos e minimizar os impactos negativos.

CT: Para concluir, os nascimento de diversos novos conceitos como geoconservação, geoturístico, biogeografia antrópica, entre outros reflete a mudança do estudo do turismo para um viés cada vez mais científico. Esta alteração foi positiva para a área e seus respectivos profissionais?

RCA: Sim. Embora os estudos relacionados ao turismo sejam de caráter multidisciplinar e interdisciplinar, têm sido abordados, cada vez mais, por pesquisadores, com um background geográfico. Daí, mais recentemente, grande parte dos livros e artigos sobre turismo ter origem em departamentos de geografia, em várias partes do mundo.

A propósito da participação dos geógrafos, em estudos de turismo, Hall et al. (2004) exemplificam que sociedades científicas internacionais reconhecidas pela comunidade acadêmica, como por exemplo: Associação dos Geógrafos Americanos (Association of American Geographers); Associação Canadense de Geógrafos (Canadian Association of Geographers) e Instituto de Geógrafos Britânicos (Institute of British Geographers) possuem atualmente grupos de trabalho com temáticas turísticas, no seu âmbito de pesquisa, bem como outras associações semelhantes na Alemanha, China e, em vários outros países.

Também a União Geográfica Internacional (UGI – International Geographical Union) criou em 2000, uma Comissão de Turismo, Lazer e Mudanças Globais, mais um exemplo da atuação da Geografia nesse campo de conhecimento. Além disso, Hall et al. (2004) afirmam também que o crescimento dos estudos sobre turismo, vistos sob uma perspectiva técnica e cientifica, pode ser evidenciado pelo grande numero de periódicos, publicados em inglês.

Sobre os organizadores

Raphael de Carvalho Aranha: Mestrando em Geografia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, é professor da Faculdade de Tecnologia em Hotelaria, Gastronomia e Turismo de São Paulo (Hotec), em que leciona nos cursos de Turismo, Gestão Ambiental, Eventos e Recursos Humanos. Também é Guia de Turismo da Embratur (Rio de Janeiro/Brasil/América do Sul).

Antonio José Teixeira Guerra: Doutor em Geografia pela Universidade de Londres, com pós-doutorado em Erosão dos Solos pela Universidade de Oxford, é pesquisador do CNPq e professor titular do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).