Horário de Verão e Energia no Brasil

Com horário de verão Eletropaulo espera reduzir até 5% do consumo de energia

Começou neste domingo, 16 de outubro, o horário de verão para quem mora nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Bahia.

O adiantamento do relógio em uma hora deverá ir até o dia 26 de fevereiro de 2012, período o qual a AES Eletropaulo espera reduzir o consumo de energia elétrica em até 5%, com economia de aproximadamente 170 MWh.

No ano passado essa iniciativa fez reduzir 4,4% da demanda de energia no horário de pico, segundo o Ministério de Minas e Energia.

A razão do horário de verão ser adotado sempre entre os meses de outubro/fevereiro é o aumento da demanda de energia, já que é um período de muito calor e também de grande produção industrial para o Natal. Como os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao Sol, a luminosidade natural também pode ser melhor aproveitada.

Confira dicas da AES Eletropaulo para economizar energia: clique aqui.


Nível dos reservatórios das hidrelétricas está maior que mesmo período de 2010

Hidrelétrica de Lajeado (Foto: Márcio Di Pietro)

Segundo dados do Boletim de Carga Mensal, divulgado nesta terça-feira (11), pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o nível do armazenamento de energia está bem acima da meta para 2011.

Maio a outubro geralmente são os meses de seca do país, mas este ano o verão foi mais chuvoso e o período de estiagem foi menos intenso. Já em setembro observou-se que o sistema Sudeste e Centro-Oeste tinha 65,35% de energia armazenada. No ano passado, o nível estava em 49,26%. No sistema Sul, também em setembro, o armazenamento era de 93,6%, contra 64,26% em 2010. O sistema com menor diferenciação nos dois anos foi o da região Norte com 52,18% e 45,30%.

———————————————————————————————————————————————————–
Tem interesse por Gestão de Reservatórios de Hidrelétricas?

A Oficina de Textos lançará o livro Gestão de Reservatórios de Hidrelétricas, organizado por Fernando Campagnoli e Noris Costa Diniz.

A obra trata do monitoramento de reservatórios de hidrelétricas, com o objetivo de preservar seu potencial hidráulico, limitar os impactos naturais e antrópicos, regular seu uso e ocupação, e fundamentar programas ambientais. Entre outros temas, aborda os benefícios socioambientais dos reservatórios; a recuperação florestal de margens; o monitoramento; e os principais desafios na sua gestão.

Sua pré-venda será no evento XXVIII Seminário Nacional de Grandes Barragens: saiba mais.

 

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *