INPE lança nova versão da ferramenta LuccME pra modelagem ambiental

fig2b_santarem_2007O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) lançou uma nova versão da ferramenta LuccME (Land Use and Cover Change Modeling Environment), que auxilia o usuário na tomada de decisão em questões de planejamento territorial e ambiental. O software livre permite que se construam modelos para estudos sobre desmatamento, expansão da agricultura, desertificação, degradação ambiental, crescimento urbano e outros processos de mudanças de uso de cobertura da terra em diferentes escalas.

Segundo a pesquisadora responsável pelo projeto, Ana Paula Aguiar, o novo modelo traz uma série de inovações que facilitam o uso dela. Houve avanços na interface gráfica, no aprimoramento da documentação, além da inclusão de novos componentes e métricas de validação, para facilitar a calibração dos modelos.

“A grande novidade da versão 3.0 é que ela vem totalmente remodelada por dentro, graças aos avanços dos sistemas TerraME 2.0 e TerraLib 5.0. Agora, nossa capacidade de lidar com grandes bancos de dados geográficos, assim como a velocidade de processamento, aumentou significativamente”, disse a profissional do Inpe.

Outra vantagem é que os modelos desenvolvidos podem acessar arquivos no formato mais utilizado na área de geoprocessamento. Assim, tanto dados de entrada como resultados gerados podem ser manipulados diretamente em qualquer sistema de informações geográficas.

O LuccME é baseado nas novas versões dos softwares livres TerraME e TerraLib, também desenvolvidos pelo Inpe. O primeiro é um ambiente de programação para modelagem dinâmica espacial, com vários tipos de aplicação, além da modelagem de uso da terra. Ele suporta autômatos celulares, modelos baseados em agentes e modelos de rede em execução em espaços de células 2D. O TerraME fornece, por meio da biblioteca TerraLib, uma interface para acessar bancos de dados geográficos que armazenam informações geoespaciais.

Para fazer o download, clique aqui.

exto extraído do site MundoGEO.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *