Inter-relacionamento no uso dos recursos naturais e do espaço

O conceito de espaço é importante desde a fixação de “fronteiras nacionais” até a localização de uma área. O espaço pode ser para finalidades de uso do solo, manejo, controle e administração, delimitado tanto vertical como horizontalmente, ou em ambas as direções. Semelhantes características espaciais da Terra permeiam as bases da teoria locacional e constituem o substrato do direito de posse da propriedade e sua troca e transferência entre as pessoas. Segundo o livro Geoquímica Ambiental e estudos de impacto, os recursos naturais que compõem uma determinada unidade do espaço, ao contrário das características de espaço, podem ser afetados pelos seres humanos e, portanto, como consequência, serem qualificados por:

  1. mobilidade, uma vez que os recursos naturais podem ser separados e removidos;
  2. destrutibilidade (conforme qualificado pelas 1ª e 2ª Leis da Termodinâmica), uma vez que a forma e o caráter dos recursos naturais podem ser alterados;
  3. invariabilidade, uma vez que os recursos naturais e/ou seus produtos podem ser classificados em termos de graduações, padrões ou classes; e
  4. instabilidade de fornecimento, uma vez que o volume dos recursos pode ser aumentado ou diminuído por agentes humanos, dependendo da capacidade de renovação desses recursos e da tecnologia utilizada (Timmons, 1985, p. 25).

Dessa forma, ao contrário das características de espaço da Terra, os recursos naturais podem ser transportados e até destruídos; podem também se tornar invariáveis, e são instáveis em disponibilidade. Os recursos naturais podem satisfazer uma demanda direta da população (como o ar e a água).

Já o solo apresenta a necessidade direta (sob a forma de substrato físico) e demandas indiretas (alimentos e outros produtos minerais dele extraídos), o que o caracteriza como “bem de consumo” e “fator de produção”.

As três principais dimensões envolvidas no uso dos recursos naturais e do espaço podem ser vistas no gráfico abaixo.

O inter-relacionamento entre os fatores econômicos, institucionais e físicos no uso dos recursos naturais e do espaço

As dimensões envolvidas no uso dos recursos naturais e do espaço são modificadas por:

1. inovações tecnológicas;

2. mudanças na demanda;

3. mudanças institucionais.

A satisfação das necessidades físicas e aspirações socioeconômicas do homem pelo desenvolvimento de uma atividade, se faz por meio de formas de uso e apropriação de um espaço, gerando efeitos no meio biogeofísico que poderão refletir-se nas condições físicas e socioeconômicas deste mesmo homem.

Diagrama representando o entorno de um EIA

A exploração dos recursos naturais ou das atividades industriais poderá provocar impactos no meio ambiente por meio da alteração do ar, da água, do solo, da flora e da fauna e pela modificação da saúde e do bem-estar dos próprios seres humanos, isto é, agindo sobre o meio socioeconômico. A implantação de uma atividade modificadora do meio ambiente é o aspecto central no uso e apropriação do espaço. Assim, os Estudos de Impacto Ambiental (EIAs), do ponto de vista das Geociências, partem de um estudo sistemático, passam por critérios ambientais e atingem a identificação dos impactos ambientais.

Tudo a ver

O artigo “Inter-relacionamento no uso dos recursos naturais e do espaço“ foi retirado da mais recente reedição da obra Geoquímica Ambiental e estudos de impacto, de Geraldo Mario Rohde. Um livro precursor na abordagem das mudanças e desdobramentos econômicos, ecológicos e jurídicos gerados pela ação do ser humano nos ciclos biogeoquímicos. Esse livro é voltado aos profissionais e estudantes que atuam com geoquímica e estudos de impacto ambiental, fornecendo os conhecimentos necessários para suprir as crescentes demandas do mercado e difundir informações sobre a importância da geoquímica no Brasil e no mundo.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *