Lucí Hidalgo fala das mudanças climáticas e os impactos nas cidades costeiras,

Hoje, dia Internacional do Meio Ambiente, o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) reúne especialistas, cientistas, tomadores de decisão e cidadãos para discutir sobre “Impacto, vulnerabilidade e adaptação das cidades costeiras brasileiras às mudanças climáticas”, tema que intitula o relatório especial desse organismo científico nacional.

As regiões costeiras, onde habita 60% da população brasileira, são o foco do relatório, pois são áreas que sofrem mais os impactos gerados pelo aumento do nível do mar, da temperatura, do nível de precipitação, erosão, entre outros. O Relatório Especial Mudanças Climáticas e Cidades contextualiza a relação entre as mudanças climáticas e as cidades, por exemplo, o aumento do aquecimento global, com as emissões de gases de efeito estufa, impactos sobre ecossistemas urbanos, infraestrutura afetada no âmbito dos transportes, edificações, recursos hídricos, drenagem urbana, entre outros, até questões de saúde. O relatório também destaca a importância de alternativas de mitigação e de adaptação em áreas urbanas.

Para comentar sobre as mudanças climáticas e os impactos nas cidades costeiras, conforme dados do IPCC (Intergovernmental Panel on Climate Change), e explicar melhor o que são essas alternativas de adaptação em áreas urbanas no contexto atual, convidamos a pesquisadora Lucí Hidalgo Nunes, autora do livro Urbanização e desastres naturais e sub-líder do Projeto Metropole (na sigla em inglês), que analisa estudos de caso de capacidade adaptativa para mudança ambiental nas cidades costeiras de Santos (Brasil), Broward (Reino Unido) e Selsey (EUA) desde 2013 e já destacou diversos impactos, inclusive econômicos, que essas cidades podem sofrer com as mudanças climáticas.

Duração do áudio: 14:23

Link para vídeo: https://vimeo.com/220344741

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *