Mudança climática representa riscos aos alimentos

Especialistas em segurança dos alimentos da ONU afirmam que os governos devem ficar atentos aos efeitos do aquecimento global, pois eles prevêem cada vez mais condições extremas, como secas ou inundações, questões que afetarão diretamente o abastecimento alimentício à população. Além disso, a oscilação nos preços será muito grande considerando essas condições extremas de plantio e colheita.

Fatores como esses têm maior probabilidade de atingir fortemente nações menos abastadas, uma vez que, teoricamente, não teriam o preparo necessário para lidar com esses desastres naturais.

O relatório da ONU que aponta as alterações climáticas extremas, reforçou o aumento do calor e seca, e, dentre outras descobertas, apresentou também a probabilidade do aumento das chuvas torrenciais, que por consequência, aumentaria a porcentagem total das chuvas.

Apesar dos índices levantados, tradicionalmente alguns cientistas são reticentes quando diz respeito a dados “individuais” como as secas ocasionadas pelas mudanças climáticas. Para eles, ondas de calor e tempestades de areia sempre aconteceram, e se ocorrem agora, não necessariamente são efeitos das variações climáticas, apesar de a maioria acreditar que esse comportamento da natureza é proveniente da ação do homem sobre o Planeta Terra, que leva ao aquecimento global, e consequentemente às variações climáticas.

Fonte: Reuters

* Quer saber mais sobre a polêmica do Aquecimento Global? Leia matéria feita no Comunitexto em dez/11, clique aqui.

Tudo a ver: Para conhecer as diversas visões sobre a questão do aquecimento global, as alterações climáticas e desastres naturais, compre o livro Aquecimento Global?, escrito por Shigenori Maruyama, geólogo especializado em Ciência Planetária Terrestre e traduzido por Kenitiro Suguio, Doutor em Ciências e membro da Sociedade Brasileira de Geologia. A obra apresenta um contraponto, com argumentos que trazem  que a Terra está, na verdade, às vias de um esfriamento global, e esta sim é uma ameaça devastadora. Saiba mais, clique aqui.


Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *