O fenômeno das ilhas de calor

As lhas de calor são fenômenos climáticos que ocorrem principalmente em áreas urbanas e suburbanas, nas quais o ar e a temperatura superficial costumam ser mais quentes do que nas regiões rurais próximas. A primeira documentação de calor urbano foi feita em 1918 por Luke Howard, que publicou um estudo sobre o clima de Londres e apontou um “excesso de calor artificial” nas cidades.

As ilhas de calor se formam porque muitos materiais de construção comuns são impermeáveis e feitos de estanque, retendo mais calor do sol e não deixando umidade disponível para dissipar o calor. Além disso, o calor antropogênico, ou produzido pelo homem, menores velocidades do vento e a poluição também são responsáveis por agravar este problema.

De acordo com a obra Ilhas de Calor, escrita por Lisa Gartland e traduzida por Silvia Helena Gonçalves, estes fenômenos apresentam cinco características comuns, confira:

1)    Normalmente são mais quentes em áreas urbanizadas após o pôr-do-sol, quando comparadas a áreas rurais, e mais frescas após o amanhecer;

2)    As temperaturas do ar são elevadas em conseqüência do aquecimento de superfícies urbanas graças a ausência de vegetação;

3)    As diferenças na temperatura e no ar são realçadas quando o dia está calmo e claro;

4)    Áreas com menos vegetação e mais desenvolvidas tendem a ser mais quentes e, quanto maior os crescimentos das cidades, mais quentes ficam.

5)    Apresentam um ar mais quente na camada limite e criam colunas de ar mais quente sobre as cidades e inversões de temperatura.

Sua formação traz problemas para o meio ambiente e para a saúde dos habitantes das cidades. Lisa Garland cita os problemas respiratórios como os mais comuns e aponta a intensificação do fenômeno do aquecimento global e dos gastos excessivos de energia como alguns dos pontos prejudiciais destas ilhas.

Veja abaixo algumas soluções para tornar a temperatura térmica dos ambientes mais agradáveis:

Tudo a ver

Se você gostou desta matéria, vai se interessar pela obra Ilhas de Calor, que foi escrita por Lisa Gartland e traduzida pela Oficina de Textos com o intuito de suprir a lacuna existente no mercado editorial brasileiro, trazendo contribuições e informações de extrema relevância para intervenções efetivas neste sentido.

A obra aborda os conceitos de ilha de calor e como reduzir seus impactos de forma acessível, com exemplos práticos e conceitos teóricos claros. As comunidades podem pôr em prática as diversas formas de mitigar os efeitos das ilhas de calor e ter maior qualidade de vida. É uma ferramenta fundamental para engenheiros, arquitetos, climatologistas, pesquisadores e estudantes da área.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *