O que as três leis de Newton têm a ver com futebol?

Isaac Newton foi um famoso cientista inglês, que desenvolveu diversos trabalhos ligados a áreas como matemática, física, astronomia e filosofia. Entre os feitos mais famosos de Newton, estão as três leis que foram publicadas em 1687, nos volumes do livro Philosophiae Naturalis Principia Mathematica. Estas leis são sobre as ações de força que alteram o estado do movimento e, por isso, estão diretamente conectadas com o futebol.

Todas as ações feitas em um campo de futebol, que vão desde as tentativas de defesa de um time até um chute na bola que irá gerar um gol, são resultados destas ações de força. Nesta matéria, você irá saber um pouco mais sobre as três leis de Newton e como elas podem ser aplicadas neste popular esporte. Confira!

A primeira lei de Newton – a lei da inércia

Diz que todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma linha reta, a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças aplicadas sobre ele. No futebol, esta lei pode ser facilmente visualizada nos movimentos da bola, que só acontecem graças à força do chute do jogador. Mas a força também é utilizada ao parar a bola, podendo ser gerada por uma ação com os pés do jogador ou pela força de atrito da bola com a grama.

Segunda lei de Newton – o princípio fundamental da dinâmica

A mudança de movimento é proporcional à força motora imprimida, e é produzida na direção de linha reta na qual aquela força é impressa. Ou seja, se um jogador aplicar uma força sobre a bola (chute, cabeçada, etc.), ela irá adquirir uma aceleração x. Caso o jogador duplique essa força, a aceleração da bola também será maior. Apesar disto, devemos considerar que a aceleração da bola também depende de sua massa. Se ela estiver suja de lama, a massa se torna maior e a aceleração seria menor após o chute. A massa corporal do jogador também interfere nas jogadas e por isso, os jogadores com maior massa normalmente ficam na posição de pivô, já que os chutes destes produzem uma aceleração maior na bola.

Terceira lei de Newton – a lei da ação e reação

A toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade: ou as ações mútuas de dois corpos um sobre o outro são sempre iguais e dirigidas em sentidos opostos. Por exemplo: Quando um jogador atinge a bola com o pé, a força de ação exercida durante o chute faz surgir uma força de reação exercida pela bola no pé do jogador. Algumas vezes, este conceito é (não intencionalmente) aplicado de forma errada: quando um árbitro de futebol adverte dois jogadores envolvidos em uma disputa de bola, mesmo que um deles não tenha feito nada, pode estar inconscientemente usando um extremo da terceira lei de Newton: enquanto um jogador age empurrando o peito do outro, o outro reagiu dando uma peitada na mão do primeiro, com a mesma intensidade e no mesmo instante.

Tudo a ver

Se você gostou dessa matéria, vai adorar o livro Física do Futebol. Escrito por Emico Okuno, professora do Departamento de Física Nuclear do Instituto de Física da Universidade de São Paulo e por Marcos Duarte, pesquisador sobre o movimento humano e professor da Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo, este livro tem o intuito de transmitir os principais conceitos da física de forma interessante, relacionando-a com o esporte mais famoso do Brasil: o futebol.

A obra não só ensina Física, mas também as próprias regras do futebol e tudo o que nele acontece relacionado à Mecânica. Além disso, também descreve em mais detalhes o porquê de certas coisas na Mecânica e fórmulas matemáticas são utilizadas, mas sempre com o intuito de mostrar a motivação que existe por detrás delas. Segundo os autores, o livro pode ser utilizado de maneira quase autodidata, pela forma como foi desenvolvido e os conceitos abordados cobrem todo o conteúdo normalmente abrangido no currículo de Física do primeiro ano do ensino médio.

2 Comentários

  1. Obrigada pela ajuda!Encontrei em um só esporte todas as leis de Newton nele envolvidas,com total clareza e formalidade.

  2. Muito legal, mas não entendi a última parte da terceira Lei de Newton, quando diz que às vezes o conceito é usado erroneamente.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *