Partículas mais rápidas que a luz?

De acordo com a teoria da relatividade de Einstein, nenhuma partícula pode ser deslocar no universo em velocidade superior à da luz, de 300 mil km/s.

Em setembro de 2011, os especialistas do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares  (CERN) anunciaram que alguns neutrinos haviam feito o trajeto em 60 nanossegundos a menos do que a velocidade da luz.

Os neutrinos são partículas minúsculas, desprovidas de carga elétrica, que podem atravessar objetos sólidos.

O experimento europeu mediu a velocidade de um feixe de neutrinos viajando do CERN, na Suíça, ao laboratório subterrâneo de Gran Sasso, na Itália, distante 730 km.

Porém, os resultados divulgados no ano passado estavam errados. A revista Science divulgou que uma falha no experimento levou aos resultados incorretos. A culpa seria um problema na conexão entre o GPS e o computador, feita por um cabo de fibra óptica e os cientistas haviam estimado o atraso na transferência dos dados incorretamente. Alguns especialistas sugeriram que a descoberta, se confirmada, seria a maior do século em termos de física.

Não, ainda não foi desta vez! Continuamos acreditando que a Teoria de Einstein está a salvo…

2 Comentários

  1. Os resultados apresentados pela CERN estão repletos de erros sistemáticos de medidas.

    Não foi considerado a Força de Coriolis e o Efeito Witte.

    Segue abaixo artigo publicado por um BRASILEIRO que demonstra de maneira simples os erros que levaram a ilusória comprovação de que os neutrinos viajam mais rápidos do que a luz.

    É importante salientar que o referido BRASILEIRO é o único citado duas vezes num total de trinta artigos apresentados pelo MIT como justificativa do erro obtido pelo CERN.

    Viva POLICARPO ULIANOV…VIVA O BRASIL!

    http://www.atomlig.com.br/poli/WURA-PT.pdf

    http://www.atomlig.com.br/poli/EfeitoWitte-PT.pdf

    http://www.atomlig.com.br/poli/Neutrinos-PT.pdf

    http://web.mit.edu/redingtn/www/netadv/ftlNuSlow.html

  2. Olá Giogio,
    Obrigado pelo seu comentário, com certeza acrescenta muito!

    Equipe Oficina de Textos.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *