Pressão da litosfera seria capaz de gerar centenas de vulcões

Centenas de vulcões seriam necessários para aliviar toda a pressão existente entre as placas litosféricas do nosso planeta, disse nesta quarta-feira (15/6) o professor do Instituto de Geociência da USP, Benjamin Bley, em entrevista exclusiva ao Comunitexto. De acordo com o professor, a energia gerada no encontro dos blocos poderia ser comparada a milhares de bombas atômicas.

“Cada vez que as enormes placas se chocam, a energia é liberada por meio de terremotos e vulcões.  Os encontro subterrâneos podem dar origem a vulcões, quando montanhas de rocha derretida aproveitam as fendas para subir por entre as placas”, explica.

Com relação ao vulcão chileno Puyehue, em atividade desde o dia 4 de junho, Bley explica que a causa da erupção advém da subducção da placa Nazca, que está entrando debaixo do pacífico. “Geralmente a mais densa, afunda sob a outra em direcção ao manto. As placas oceânicas normalmente mergulham sob as placas continentais ou sob outras placas oceânicas menos densas”.

A noção de placas tectônicas foi desenvolvida nos anos 1960 para explicar as localizações dos vulcões e outros eventos geológicos de grande escala. De acordo com a teoria, a superfície da Terra é feita de uma “colcha de retalhos” de enormes placas rígidas, com espessura de 80 km, que flutuam devagar por cima do manto, uma região com magma nas profundezas da terra.  As placas mudam de tamanho e posição ao longo do tempo, movendo entre um e dez centímetros por ano – velocidade equivalente ao crescimento das unhas humanas.

Glossário de Geotectônica

Geologia do Quaternário e Mudanças Ambientais

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *