Projeto internacional sobre reúso de água tem participação da USP

A Universidade de São Paulo (USP) passa a integrar o Projeto Coroado, programa da União Europeia, que busca identificar tecnologias de reúso de água e avaliar os potenciais de aplicação na América Latina. Representantes de nove universidades e centros de pesquisa europeus e da América Latina se reuniram em São Paulo nesta semana, no primeiro encontro internacional sobre o projeto.
Deverão ser utilizados como laboratórios para os experimentos: a região Metropolitana de São Paulo, a Bacia do Rio Copiapó (Chile), a Bacia do Rio Bravo e Rio Grande (México) e a Bacia do Rio Suquía (Argentina).
A professora Mônica Ferreira do Amaral Porto, vice-chefe do Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental da Escola Politécnica (Poli) da USP e coordenadora do projeto na América Latina explica que para a água ser reutilizada é preciso saber a fonte ou a origem do efluente e a finalidade de seu reúso.
O Projeto Coroado tem como base quatro casos de estudos ligados a quatro países da América Latina. No Brasil, o reúso é urbano. Pode ser feito, por exemplo, da água de tratamento de esgoto reutilizada para fins industriais e lavagem de pisos. Na Argentina, assim como no Chile, a finalidade da água de reúso é agricultura. Já no México, o uso é agrícola.
No Brasil, o Coroado tem como foco a Região Metropolitana de São Paulo, por ser o local com maior escassez de água do Brasil.
Especialistas informam que caso o consumo continue no ritmo atual, até 2025 mais da metade das nações do planeta sofrerá com a escassez de água.
De acordo com a professora Mônica, a USP foi escolhida para liderar esta etapa do projeto por ser uma referência no setor, por meio do Centro Internacional de Referência em Reuso de Água (Cirra), coordenado pelo professor José Carlos Mierzwa, com a colaboração do professor Ivanildo Hespanhol. No caso do Cirra, um dos projetos desenvolvidos envolve a reutilização da água da torneira das pias dos banheiros do Aeroporto Internacional de Guarulhos para a lavagem das pistas do aeroporto.

Quer saber mais sobre o tema?

Adquira o livro Água na Indústria, dos professores José Carlos Mierzwa e Ivanildo Hespanhol.
Com caráter didático e exemplos aplicados, a obra traz um pano­rama abrangente dos problemas e das técnicas de tratamento, desde as convencionais até as mais sofisticadas, como trocas iônicas e separação por membranas. Sua inestimável contribuição é o equacionamento claro, objetivo e logicamente encadeado de como enfrentar o desafio de otimizar o uso de água em uma indústria. Discute-se ainda o esgotamento do conceito água: recurso ilimitado, a legislação sobre recursos hídricos e as necessidades e desafios que o tema propõe.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *