Radicais livres podem ser benéficos

O termo “radicais livres” está sempre presente nos meios de comunicação, especialmente nas editorias de beleza, mas você sabe qual a função destes átomos/moléculas no seu organismo?

Frequentemente, estas moléculas aparecem relacionadas com algumas doenças e o processo de envelhecimento do corpo, mas pouco se fala sobre a importância delas nos processos fisiológicos. Segundo o livro Radicais Livres: bons, maus e naturais, da autora Ohara Augusto, ter diferentes radicais livres em quantidades limitadas no organismo é benéfico para a saúde, já que contribuem para as respostas imunológicas do corpo.

Por exemplo, as espécies reativas destas moléculas produzem óxido nítrico, componente considerado citostático (que impede a proliferação de células e parasitas). Outro fator positivo está na participação do óxido nítrico nos processos de aprendizado e memória.

Até alguns fatores sexuais têm a contribuição dos radicais livres. Os estudos destas moléculas mostrou que possuem relação com o relaxamento da musculatura lisa do corpo cavernoso peniano e seus vasos sanguíneos aferentes. Esse relaxamento muscular e vascular é responsável pela ereção.

De fato, os excessos de radicais livres presentes no corpo podem trazer problemas. Mas estas espécies fazem parte de um processo natural do corpo, sendo criadas pelas mitocôndrias do organismo humano. Se a pessoa apresentar um bom estado de saúde, o mesmo organismo que as sintetizou, cuida de eliminá-las sozinho.

Fonte: Livro Radicais Livres: bons, maus e naturais, de Ohara Augusto.

Se você achou esta matéria interessante, vai adorar a obra Radicais Livres: bons, maus e naturais. Neste livro da professora Ohara Augusto, é possível compreender como estas moléculas se formam no organismo, quais os efeitos positivos e negativos, como detectá-los e muitas outras dúvidas.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *