Novo debate sobre mudanças climáticas

O debate sobre mudanças climáticas voltou novamente a ser o centro das atenções com o recém lançamento do relatório Climate Change 2013 do IPCC  (Painel Intragovernamental de Mudanças Climáticas) sobre as alterações climáticas mundiais. O IPCC é um órgão científico e tem como objetivo analisar e avaliar as informações científicas, técnicas e sócio-econômicas mais recentes no mundo, relevantes para a compreensão das mudanças climáticas. Este relatório é a primeira das quatro partes, lançado em Estocolmo, Suécia,

Com mais de 1000 páginas contendo diversos dados coletados por um grupo de cientistas, a mensagem principal é bem clara: o aquecimento global sem precedentes é um fato e as emissões de gases de efeito estufa (GEE) é a principal causa. Ainda segundo o relatório, a influência humana sobre o sistema climático é clara. Isto é evidente a partir das crescentes concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera, a forçante radiativa positiva, o aquecimento observado e a compreensão do sistema climático.em 27 de setembro deste ano. As conclusões desta parte, que é a mais extensa, profunda e completa revisão do estado da ciência do clima já produzida, é atualmente peça principal para informar e dar subsídio aos setores público e privado, assim como a sociedade com os formadores de opinião, cientistas e profissionais da área e estudantes.

Segue abaixo algumas das mensagens principais:

● O aquecimento do sistema climático é inequívoco e muitas das mudanças observadas, desde os anos 1950, não têm precedentes, ao longo de décadas e milênios. A atmosfera e o oceano se aquecem, as quantidades de neve e gelo têm diminuído, o nível do mar subiu e as concentrações de gases de efeito estufa aumentaram.

● Desde 1850, cada uma das três últimas décadas tem sido sucessivamente mais quente na superfície da Terra do que qualquer década anterior. No Hemisfério Norte, 1983-2012 foi o período de 30 anos mais quente dos últimos 1400 anos.

● O aquecimento dos oceanos domina o aumento da energia armazenada no sistema climático, o que representa mais de 90% da energia acumulada entre 1971 e 2010 e, por isso, o oceano superior (0-700 m) aqueceu.

● A taxa de aumento do nível do mar desde meados do século 19 tem sido maior do que a taxa média durante os dois milênios anteriores. Durante o período de 1901-2010, o nível mundial do mar médio subiu 0,19 metros.

Sobre as causas das mudanças observadas e o entendimento do sistema climático:

● O forçamento radioativo é positivo, e levou a uma absorção de energia pelo sistema climático. A maior contribuição para a radiativa total de forçamento é causada pelo aumento da concentração atmosférica de CO2 desde 1750.

● Estudos observacionais e modelo de mudança de temperatura, reações climáticas e mudanças no balanço energético da Terra, juntos, oferecem confiança na magnitude do aquecimento global em resposta ao forçamento do passado e do futuro.

● Influência humana foi detectada no aquecimento da atmosfera e do oceano, em mudanças no ciclo hidrológico global, em reduções em neve e gelo, na média global do aumento do nível do mar, e em mudanças em alguns eventos climáticos extremos. Esta evidência de influência humana tem crescido desde o AR4 (relatório anterior do IPCC).

Sobre os cenários futuros das mudanças climáticas:

● Manutenção das emissões de gases de efeito estufa provocará maior aquecimento e mudanças em todos os componentes do sistema climático. Para restringir ou limitar as alterações climáticas serão necessárias reduções substanciais e sustentadas de emissões de gases de efeito estufa.

● Mudanças no ciclo global da água em resposta ao aquecimento ao longo do século 21 não será uniforme. O contraste da precipitação entre as regiões úmidas e secas e entre as estações chuvosa e seca vai aumentar, embora possam acontecer exceções regionais.

● A mudança climática afetará os processos do ciclo de carbono de uma maneira que irá agravar o aumento de CO² na atmosfera. Além disso, a absorção de carbono pelo oceano deve aumentar a acidificação do oceano.

● Emissões cumulativas de CO² em grande parte determinam o aquecimento superficial médio global até o final do século 21 e além. A maioria dos aspectos das alterações climáticas vai persistir por muitos séculos, mesmo que as emissões de CO²cessem completamente. Isso representa um comprometimento multisecular substancial das mudanças climáticas criado pelas emissões passadas, presentes e futuras de CO².

Para conhecer o relatório na íntegra, clique aqui.

O outro lado da moeda

 Um contraponto cientificamente bem fundado do importante e premiado geólogo Shigenori Maruyama, Aquecimento Global? com certeza provocará novas reflexões e debates sobre o tema. Traduzido por Kenitiro Suguio, esta obra inovadora e intelectualmente estimulante oferece uma perspectiva mais abrangente sobre as reais questões climáticas, baseada tanto nas necessidades humanas quanto nas preocupações ambientais. Aquecimento Global? coloca em cheque mitos politicamente corretos que põe em risco tanto a Terra como os seres humanos que nela vivem.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *