Tecnologia e a cura para a fibrose cística

Uma equipe de cientistas da Universidade Duke, na Carolina do Norte, identificou novas moléculas que podem aliviar os sintomas da fibrose cística, doença hereditária que afeta todo o organismo, causando deficiências progressivas e, frequentemente, levando à morte prematura.

A descoberta foi feita por meio de um software desenvolvido pelos próprios pesquisadores, que utiliza modelos 3DS das proteínas envolvidas nesta doença. Estas simulações algorítmicas permitem prever como uma estrutura molecular pode bloquear as interações proteicas que ocorrem na fibrose.

Com esta nova proteína, chamada CFTR (em tradução do inglês: regulador de condutância transmembrana em fibrose cística), foi possível bloquear as interações proteicas que causam a doença e melhorar a capacidade das células de balancear os níveis de água e sal.  Após a simulação virtual, a equipe realizou testes físicos, usando células com mutações de fibrose cística dentro de placas de petri. Depois de inserir a proteína CFTR, nas moléculas defeituosas, os cientistas notaram uma reação inibidora da doença.

Os resultados foram divulgados na Biblioteca Pública de Ciência Biológica Computacional, sugerindo que computadores podem auxiliar no projeto de remédios para tratar fibrose cística. Atualmente, não existem tratamentos para curar a fibrose, mas os cientistas acreditam que os resultados da pesquisa podem conduzir à cura ou redução dos sintomas.

Fonte: Science Daily

A convergência tecnológica tem auxiliado no desenvolvimento da medicina e, segundo o livro O Quarto Paradigma: descobertas ciêntificas na era da eScience, irá auxiliar no tratamento de diversas doenças e revolucionar os sistemas de saúde. A obra é fundamental para quem gosta de estudar os desafios e soluções potenciais para países em desenvolvimento, novos tratamentos criados com auxílio de computadores e muito mais.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *