Tudo sobre bactérias

As bactérias sempre foram alvo da curiosidade científica, já que estudar estes seres microscópicos pode ajudar a entender um pouco mais sobre os seres humanos. Lita Proctor, doutora e pesquisadora de comunidades de bactérias que vivem no corpo humano pela Universidade de Nova Iorque, comprovou que as células bacterianas superam as outras em até 10 vezes e compõem de 1 a 2% da massa do nosso corpo.

Apesar disto, nem todas essas bactérias são benéficas e muitas causam doenças que, sem tratamento, podem ser letais. Segundo o site da WWF, organização não lucrativa de proteção ambiental, 70% das internações hospitalares do Brasil são causadas por doenças relacionadas à água, muitas vezes infectada por bactérias como vibrião colérico e leptospirose.

Nesta matéria, usaremos o Dicionário de Saneamento Ambiental, escrito por Ariovaldo Nuvolari, doutor em Saneamento pela Universidade de Campinas (Unicamp) e professor da Fatec-SP, para explicar um pouco mais sobre estes microorganismos.

O que são bactérias?

As bactérias são seres unicelulares e estão entre os menores organismos conhecidos. Podem viver isolados ou formar colônias e são encontradas em praticamente todos os lugares do planeta, incluindo o corpo de humanos e animais. Estes pequenos seres podem viver na presença de oxigênio (aeróbias), na ausência de ar (anaeróbias) ou, ainda, serem facultativas e viverem em ambientes com ou sem ar.

Fontes de alimentação

As bactérias podem se alimentar de duas maneiras diferentes, que as classificaram em dois grandes grupos:

Autotróficas: são as bactérias que produzem o próprio alimento por meio de fotossíntese (usando a luz solar, o dióxido de carbono e a água) ou da quimiossíntese (usando água, dióxido de carbono e produtos químicos como amônia). Estas últimas são encontradas nas raízes de algumas plantas e classificadas como fixadoras de nitrogênio, por capturarem o composto e transformar em moléculas orgânicas.

Heterotróficas: não produzem o próprio alimento, ou seja, utilizam matéria orgânica sintetizada por outros organismos como fonte de energia. É o caso das bactérias decompositoras.

Formas das bactérias

Coco: tem formato globular. Algumas delas podem causar doenças nos seres humanos como pneumonia e meningite. Estão divididas em dois grupos: estreptococos e estafilococos.

Bacilo: são aquelas com formato bastonete. Também são responsáveis por algumas doenças, como cancro mole (provocado pelo Bacilo de Ducrey) e febre tifóide (provocada pelo Bacilo de Eberth)

Vibrião: tem mobilidade e forma de bastonete recurvo, parecido com uma vírgula. Uma bactéria deste tipo causa Cólera.

Espiroqueta: são bactérias em forma de saca-rolhas que se movem de forma ondulante, como uma hélice. Muitas espécies de espiroquetas também são agentes patogênicos nocivos ao homem.

Você sabia?

Existe um vírus, conhecido como bacteriófago, que só infecta bactérias.
Alguns fagos são virulentos e, após invadir a célula, iniciam seu processo de reprodução e destroem-na. Outros podem, ao contrário, ser relativamente inofensivos e integrarem o material genético no DNA cromossomal da bactéria hospedeira. Cientistas da Universidade do Texas em Austin e do Centro de Ciências da Saúde da Escola de Medicina da Universidade do Texas em Houston, ambas nos EUA, conseguiram capturar o processo de um bacteriófago, o vírus T7, infectando uma bactéria E. coli. Confira abaixo o processo:

Tudo a ver

O Dicionário de Saneamento Ambiental, de Ariovaldo Nuvolari, doutor em Saneamento pela Universidade de Campinas (Unicamp) e professor da Fatec-SP, reúne 6.438 verbetes que foram pesquisados em inúmeras referências bibliográficas e consultados entre profissionais da área. Entre as definições, você encontra muitas informações sobre bactérias, bacias, reservatórios de água e muitas outras palavras usadas no estudo das diversas interfaces das Ciências Ambientais.

Esta é a primeira obra do gênero em língua portuguesa e possui termos atuais, não somente tecnocientíficos. O Dicionário serve de apoio a estudantes de graduação, pós-graduação, pesquisadores e profissionais nas áreas de Engenharia e Química Sanitária e Ambiental, Microbiologia, Planejamento e Gerenciamento Ambiental etc., em especial os que atuam na área de Saneamento Ambiental, ao elaborarem monografias, dissertações, teses e relatórios técnicos.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *