Vazamento de óleo e o dano ecológico

Vazamento de Petróleo na Bacia de Campos, RJ. Foto: Rogério Santana/Reuters

A Polícia Federal concluiu que o petróleo derramado na Bacia de Campos, no litoral do Rio de Janeiro, foi provocado por “falha humana”. Esta constatação foi feita após ouvir os depoimentos de funcionários da Chevron e da TransOcean durante esta semana. A companhia petrolífera Chevron perfurava um novo poço, a cerca de 200 metros do local onde produz cerca de 75 mil barris de petróleo por dia, quando o vazamento ocorreu. De acordo com a companhia, uma pressão inesperada de petróleo no poço em perfuração fez com que o óleo vazasse e se infiltrasse em rachaduras na rocha marinha. Em seguida, o petróleo conseguiu chegar à água por meio de outras quebras na rocha. Diante da situação, a ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) proibiu a empresa de furar novos poços.O deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) apresentou documentos que sustentam que não foi posicionada uma sapata de cimento que vedaria o poço, sob pressão de dois mil metros de profundidade.

A exigência do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) era a colocação de duas sapatas de cimento, mas apenas uma delas chegou a ser instalada, de acordo com os dados apresentados pelo deputado. Especialistas avaliam que o item poderia evitar que o petróleo extraído sob pressão perfurasse camadas de rocha e subisse para o oceano.

As irregularidades e a demora no aviso do acidente, além de problemas na coleta de resíduos industriais, fazem com que a Chevron seja alvo de discussão quanto ao dano ecológico causado. Deve-se esperar a interrupção completa dos vazamentos para que sejam analisados todos os problemas. O assessor da diretoria da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Silvio Jablonski, destacou que a empresa tem 30 dias contados a partir do início do vazamento (iniciado em 7 de novembro), para apresentar um relatório detalhado sobre esse acidente. O presidente do Ibama, Curt Trennepohl, disse que há a necessidade também da avaliação feita por um grupo técnico, pois, apesar de aparentemente nenhum animal ter morrido, os derramamentos devem trazer prejuízos em longo prazo.

O petróleo é um recurso natural valioso, sua perda traz enorme prejuízo para a sociedade e a exploração e produção deste mineral devem ser realizadas de maneira consciente e com a fiscalização necessária.

 

Quer ver um vídeo para tentar explicar para as crianças como é e porque isso é tão importante? Assista aqui.

Deixe sua opinião!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *